Somos a boa obra de Deus

Somos a boa obra de Deus

“Agradeço a meu Deus toda vez que me lembro de vocês. Em todas as minhas orações em favor de vocês, sempre oro com alegria por causa da cooperação que vocês têm dado ao evangelho desde o primeiro dia até agora. Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.” Filipenses 1:3-6 NVI

 

  1. Gratidão a Deus

É Deus quem promove nossa interação como igreja e se hoje desejamos responder ao chamado de Deus, é porque Ele nos amou primeiro. A primeira gratidão que temos ao fazer parte de uma igreja é a Deus, que nos atraiu ao Seu chamado. Sua vida é preciosa para Deus e Ele quem escolheu primeiro você, antes mesmo que você o conhecesse. A vida e a estabilidade de uma igreja não estão nas mãos de seus membros, sejam muito ou poucos. É Ele quem move, e é o nosso amor em retribuição ao dEle que nos mantém unidos. Não dá para ser igreja sozinho. É um relacionamento que começa no nível individual (“…ao meu Deus…”) que se estende a sempre lembrar de nossos irmãos.

“Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém afirmar: “Eu amo a Deus”, mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.” 1 João 4:19-20 NVI

  1. Intercessão

Sejamos intercessores uns dos outros, carregando as cargas uns dos outros. Invista seu tempo em relacionamentos, contribuindo para a saúde emocional e espiritual da igreja. Sua oração chega onde palavras não chegam. Um dos papéis principais da igreja é edificarmos uns aos outros e isso começa pela oração. Carregar as cargas uns dos outros não é um mero desejo, mas uma obrigação daqueles que se unem ao corpo de Cristo.

“Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo.” Gálatas 6:2 NVI

 

  1. Alegria

É tempo de olharmos para trás e vermos com alegria o que Deus já fez em nós e através de nós. É importante sermos gratos, mas também termos uma atitude interior alegre pelas boas coisas que já vivemos, apesar de lutas que vivemos hoje. Uma atitude alegre é algo que muda nossa forma de ver as dificuldades. Isto nos dá encorajamento para sempre seguirmos em frente. A alegria interior, dada por Cristo, produz cura. O contrário da alegria, porém não é a tristeza, mas o abatimento, o cansaço, por isso devemos buscar estar em unidade para suportarmos uns aos outros.

“O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos.” Provérbios 17:22

 

  1. Cooperação com o Evangelho

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. Mateus 28:19,20 NVI

As últimas palavras de uma pessoa são as mais importantes. Nestas palavras, Jesus nos ensina a todos que somos Seus discípulos a fazermos novos discípulos, batiza-los e passar a mensagem desta ordem adiante. Cada um de nós deve ser primeiramente discípulo de Jesus, abertos a sermos transformados por Ele e nos tornarmos discipuladores, conduzindo outros pelo caminho que trilhamos. Deus te trouxe aqui para ser Reino. Estar no Reino é desfrutar do que o Reino oferece.

Ser Reino é se posicionar e agir em benefício do estabelecimento deste Reino que você faz parte. Deus deu a VOCÊ um talento e um alcance especiais. No seu ambiente, seja na escola, no trabalho, no convívio com amigos e familiares, tire proveito das oportunidades, seja luz e leve a luz. Evangelho significa boas notícias, então mais que alertar às pessoas sobre a eternidade sem Jesus, devemos levar a elas a boa notícia de que Jesus as ama, morreu por elas. Assim, seremos todos nós resgatados pela sua infinita graça e Deus pode transformar sua vida aqui na Terra e garantir acesso a uma eternidade de vida plena.

 

  1. Perseverança

Hoje podemos ver um corpo de igreja se formando. Pessoas que estão desde o começo, outras que se achegam agora, mas louvamos a Deus pela nossa aliança e desejo de sermos um só corpo. Nem todo começo é fácil, mas persevere. Ser igreja e se tornar um discípulo maduro toma tempo e abertura para que nossos valores sejam confrontados pelo Espírito Santo. E Ele irá usar muitas vezes outras pessoas, tão falhas como nós, para nos admoestar e se permitirmos que estas arestas do nosso caráter sejam transformadas, seremos edificados e cada vez mais parecidos com Jesus.

 

  1. Somos uma obra em andamento

Como boa obra, nós somos a maior obra que Deus tem para fazer. Na verdade somos a ÚNICA obra. Quando Deus criou o universo pela sua Palavra. Ele descansou, contemplou a obra física da Criação, ela estava completa. Ele se ocupa então de nós, formados pelas suas próprias mãos, em quem Ele soprou seu Espírito. Você é precioso para Jesus mais do que você imagina. Você é a prioridade absoluta na agenda de Deus e com Ele nunca nos sentiremos sós. Porém devemos ter em mente sempre este senso de que somos salvos por uma confissão de fé, mas somos transformados dia a dia e enquanto vivermos neste mundo, teremos algo a ser trabalhado em nosso caráter.

 

  1. Somos uma obra de Deus

Muitas vezes temos tentado pelo nosso próprio esforço mudar coisas em nós. Muitas vezes conseguimos manter uma pequena mudança por muito pouco tempo. Reconheça que você é uma obra de Deus e que só Ele tem capacidade de mudar profundamente nossos valores. Porém, algumas áreas só são efetivamente testadas em nossos corações no ambiente da igreja, onde precisamos aprender a respeitar e conviver juntos, fazendo a junção de pessoas tão diferentes formando um só corpo. Mas fiel é Deus para nos unir a todos em Seu grande projeto e o quanto mais nos dispomos a estar em Suas mãos, mais rápido nosso crescimento e amadurecimento.

 

  1. Haverá uma conclusão para o projeto de Deus

Em Cristo estabelecemos um relacionamento eterno com Deus. Porém, a vida neste corpo é um projeto e como tal, tem início, meio e fim. Há um ponto de conclusão da obra de Deus neste corpo: o dia de Cristo Jesus.

A principal mensagem como igreja que devemos refletir é: toda esta obra de Deus em nós não tem objetivo de somente nos fazer pessoas melhores para este mundo. Este é um objetivo secundário enquanto aguardamos o principal: o Grande Dia da volta de Jesus. Para uns este dia pode ser hoje, caso experimentem a morte física, para outros será a transformação em vida em um corpo de Glória e para todos os DISCÍPULOS, a celebração final da vitória do nosso Deus, rumo a uma eternidade.

Qual o senso de urgência essa realidade tem causado em mim? Como tenho vivido o evangelho? O quanto eu anseio esta vinda? O quanto estou preparado para ela?

Como Igreja, o quanto tempos nos posicionado quanto a esta maior prioridade de todas?

Que possamos aguardar a vinda do Senhor Jesus vivendo plenamente o crescimento espiritual, cooperando com o Evangelho e intercedendo sempre uns pelos outros.

 

Esta postagem é um resumo da pregação do dia 02/12/2018, que pode ser assistida em nossa página do facebook, clicando aqui.

 

Que o Senhor Jesus nos abençoe com Sua Palavra!

 

Pr. Alan Cajueiro

alan.cajueiro@2or3church.ca